RGB-Karpos-Marca-Vertical-Transparente.p

© 2019 - 2020 - KARPOS - REFLEXÕES PARA O CAMPO MISSIONÁRIO

  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Instagram Basic Black

SOLIDÃO, A DOR DE ESTAR SOZINHO


1 Portanto, suplico aos presbíteros que há entre vós, eu que sou presbítero com eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que será revelada:

2 pastoreai o rebanho de Deus que está entre vós, cuidando dele não por obrigação, mas espontaneamente, segundo a vontade de Deus; nem por interesse em ganho ilícito, mas de boa vontade;

3 nem como dominadores dos que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho.

4 Quando o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imperecível coroa da glória.

5 Do mesmo modo, vós, os mais jovens, sujeitai-vos aos presbíteros.* Tende todos uma disposição humilde uns para com os outros, porque Deus se opõe aos arrogantes, mas dá graça aos humildes.

6 Portanto, humilhai-vos sob a poderosa mão de Deus, para que ele a seu tempo vos exalte,

7 lançando sobre ele toda vossa ansiedade, pois ele tem cuidado de vós.

8 Tende bom senso e estai atentos. O Diabo, vosso adversário, anda em derredor, rugindo como leão que procura a quem possa devorar.

9 Resisti-lhe firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão acontecendo entre vossos irmãos no mundo.


I PEDRO 5:1-9


7 lançando sobre ele toda vossa ansiedade, pois ele tem cuidado de vós.

Se sentir sozinho é mais comum do que pensamos, principalmente para nós missionários. Haverá momentos em que a solidão virá, mesmo que por muitas vezes ficamos rodeados por pessoas, com lideres troncando e-mails e mensagens e todas as outras atividades que nos faz comunicarmos com certa frequência com outras pessoas ligadas à nosso ministério.


A Solidão da vida missionária é uma dor que vez ou outra aparece, e este é um momento crítico na vida do missionário que deve ser respeitado e entendido primeiramente pelo próprio missionário. Não podemos deixar que essa dor da solidão nos desanime e nos faça desistir da tarefa a nós encomendada. É extremamente importante e recomendado que o missionário tenha algum amigo confidente, ao qual possa recorrer neste momento para orarem juntos e ser apoiado.


Sabemos que podemos confiar em Deus, e que Ele é o melhor amigo que podemos ter. Precisamos trabalhar em nossa vida pessoal com Deus, principalmente nos momentos que esteja tudo bem, para nos fortalecermos quando a solidão bater, aprendamos a lançar sobre ele todas as nossas adversidades e dificuldades. Em Mateus 27:46 vemos Jesus clamar: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”. Jesus sentia a dor da solidão e clama por Seu Pai.


Aprendemos na vida missionária que por mais que trabalhemos em equipe e tenhamos um grupo de discípulos maduros, haverá momentos que precisaremos passar por certas situações por conta própria, momentos que ninguém conseguirá entender o que estamos passando.


Os discípulos de Jesus não compreendiam totalmente o motivo dEle se entregar para morrer naquela cruz, uma vez que o mesmo tinha autoridade e poder de se livrar dessa humilhação. Jesus em sua natureza humana revela naquele momento que a Missão de Deus nos faz passar por momentos solitários, mas também nos leva a um nível de intimidade maior com Ele, uma vez que a solidão nos faz buscar forças nEle.


A minha oração é que possamos achar em Cristo o amigo que nos consola e escuta em todo tempo. Que possamos aprender a viver os momentos solitários e crescermos em nossa fé, enfrentando e entendendo o Seu chamado em nossas vidas.


10 visualizações